Um Pouco de Anatomia Feminina (Diagramas e Fotos)

Antes de entrar na verdadeira ação, é importante familiarizar-se com a anatomia feminina, de modo a poder facilmente localizar os seus tesouros, como o seu clitóris, ponto-G e cérvix. É igualmente importante entender como o prazer dela cresce a fim de a levar ao orgasmo... uma vez, e muitas vezes seguidas.

Esta seção irá alternar teoria com dicas quentes. Mantenha uma mente aberta e tente abordar este assunto com a atitude de uma criança descobrindo um novo brinquedo maravilhoso. Desta forma, irá aprender... e divertir-se mais!

Excitação Feminina

O foco da excitação da mulher geralmente transporta-se do exterior do corpo para o interior. Como ao aquecer água, leva tempo para ferver, mas quando está quente, pode manter-se assim por algum tempo.

Anatomia Feminina - Curso Online de Massagem Tantrica

A excitação sexual é muito diferente para homens e mulheres. Para as mulheres, a excitação demora mais e pode ser pontuada por muitos orgasmos de diferentes intensidades. Para os homens, o clímax geralmente vem mais rapidamente e o tempo de recuperação é mais longo.

Ao contrário da progressão linear da excitação masculina, a excitação feminina é complexa e não segue um padrão específico. Cada mulher e cada experiência sexual é única. Ela pode experimentar diferentes tipos de orgasmos de intensidades diferentes, e pode atingir o clímax várias vezes seguidas. Por este motivo, é importante prestar muita atenção às respostas da sua parceira, aprender a entendê-la e a variar as suas ações nesse sentido.

O curso começa por localizar e descrever as várias partes da yoni. Uma compreensão mais profunda da anatomia feminina vai ajudá-lo a conectar-se mais profundamente com a sua parceira. Quanto mais sabe sobre a anatomia, melhor poderá satisfazer a sua mulher acariciando áreas diferentes de formas diferentes.

A Vulva

Vamos começar a nossa jornada no lado exterior do corpo.

Provavelmente já está familiarizado com esta área, conhecida como a vulva, que é o aspeto externo, visível, da yoni. É o primeiro lugar que encontra, quanto toca intimamente uma mulher.

A vulva é muitas vezes confundida com a vagina, mas são duas partes diferentes do corpo. A vagina é o canal; não é visível do exterior.

Cada mulher tem uma vulva tão única e individual como o seu rosto. Tente esquecer todas as imagens que pode ter de filmes e revistas. Essas imagens são frequentemente digitalmente alteradas, e as próprias mulheres muitas vezes submeteram-se a cirurgias plásticas. Isso é uma beleza "falsa".

Aproxime-se da yoni da sua parceira com abertura e aceitação e aprecie a sua beleza original. Admire a sua forma, textura, cabelo e fragrância. Pode até elogiar a beleza da yoni da sua parceira. Isto vai ajudá-la a sentir-se bonita, recetiva e descontraída.

Anatomia Feminina - Curso Online de Massagem Tantrica

A vulva é composta por órgãos externos da yoni (aqueles que pode ver):

1 - Capuz clitorial (prepúcio)

2 - Clitóris

3 - Uretra

4 - Vagina

5 - Lábios externos

6 - Lábios internos

7 - Ânus

Zona Púbica (Monte de Vénus)

Anatomia Feminina - Curso Online de Massagem Tantrica

Monte púbico de uma jovem mulher

A Zona Púbica é o tecido macio, gorduroso que cobre o osso púbico e naturalmente é coberto de pêlos. Não é muito sensível, mas contém numerosas glândulas odoríferas. O perfume da zona púbica feminina é projetada para estimular o desejo sexual no seu parceiro.

Apesar do que a cultura popular pode insinuar, não é suposto que a yoni de uma mulher cheire a frutas ou flores. No entanto, o cheiro também não deve ser desagradável. Um mau ordor é um sinal de desequilíbrio ou problemas de saúde e deve ser tratado por um profissional de saúde.

Aprecie a fragrância original da sua parceira e as feromonas mágicas que transmite.

A zona púbica é naturalmente peluda. Hoje em dia, a maioria das pessoas mantém essa área limpa e aparada.

Lábios Externos

Os Lábios Externos (5), também conhecidos como grandes lábios, situam-se na zona púbica e podem ter várias formas, tamanhos e cores. São formados por tecido adiposo e naturalmente cobertos por pelos. Os lábios externos protegem os pequenos lábios, que são sensíveis e sem pêlos. Eles contêm vasos sanguíneos que incham durante a excitação, então, a sua forma e a cor mudam quando uma mulher está sexualmente excitada.

Os lábios externos não são considerados como um espaço particularmente agradável e muitas vezes são negligenciados. No entanto, são sensíveis, e o seu massajamento pode proporcionar uma sensação de relaxamento profundo.

Lábios Internos

Os Lábios Internos (6), ou pequenos lábios, encontram-se no interior dos grandes lábios. Estão cobertos por um tecido escorregadio, macio e delicado: a mucosa.

Esta é uma área muito sensível que é facilmente irritada por produtos químicos, estimulação mecânica ou higiene excessiva. Certifique-se de que as suas mãos estão limpas, bem oleadas e suaves, com unhas bem cortadas, antes de tocar nesta área.

Os pequenos lábios contêm vasos sanguíneos que incham durante a excitação e que adquirem uma tonalidade mais escura quando a fica excitada. Leia os seus lábios!

Uretra

A uretra (3) encontra-se entre o clitóris e a abertura vaginal. Está conectada à bexiga e termina com o orifício uretral, que é o pequeno orifício que permite que a urina seja libertada do corpo.

A uretra é também onde sai o líquido da ejaculação feminina (também conhecido como squirting)!

Clitóris

Anatomia Feminina - Curso Online de Massagem Tantrica

O clitóris é o «botão do prazer», localizado na parte superior da vulva e dentro dos pequenos lábios. Enquanto o clitóris de cada mulher é único, e as variações são quase ilimitadas, o clitóris é frequentemente do tamanho e da forma de uma ervilha.

Esta área extremamente sensível contém cerca de 8000 terminações nervosas, com uma densidade maior do que em qualquer outro lugar no corpo, e é feito de tecido erétil que se torna firme durante a excitação, muito parecido com o pênis.

O clitóris tem componentes distintos: a glande, o eixo, as duas pernas e os bulbos vestibulares.

A glande, ou cabeça do clitóris, é coberta por um capuz, e é a parte mais sensível. Para muitas mulheres, esta área é muito sensível para ser pressionada ou massajada diretamente. Este ponto tende a chamar mais a atenção, mas há muito mais para descobrir!

O eixo do clitóris, também conhecido como o corpo ou corpus, tem cerca de 3 a 4 cm de comprimento e sobe da cabeça do clitóris em direção ao osso púbico. A maior parte é interno. Pode senti-lo colocando um dedo de cada lado da cabeça e apertando muito gentilmente, jogando com o prazer. Sente uma estrutura tubular? Isso é o eixo. O eixo é menos sensível do que a cabeça, então o contacto mais direto e a pressão podem ser muito prazerosos.

As pernas do clitóris estendem-se para fora do eixo em uma forma de fúrcula e encontram-se dentro do corpo. Enquanto estas podem ser difíceis de perceber, tornam-se ingurgitadas e podem ser mais facilmente encontradas durante a excitação.

Os bulbos vestibulares estão abaixo dos grandes lábios. Durante a excitação, os bulbos enche-se de sangue, causando ereção e dobra da abertura vaginal.

O clitóris é a principal fonte de orgasmo para a maioria das mulheres. Durante uma yoni massage, podemos focar-nos mais nos orgasmos vaginais e usar a estimulação clitoriana para os acionar. A maioria das mulheres conhece o seu clitóris e como tocá-lo para chegar ao clímax. Apenas lhe pergunte o que ela gosta mais!

A Vagina

Ok, vamos aprofundar mais um pouco, para onde os olhos não podem ver...

A vagina é um tubo muscular que faz a ligação ente o útero e a vulva. A maioria das terminações nervosas concentram-se nas paredes do terço inferior da vagina, perto da entrada.

Durante a excitação, as paredes da vagina lubrificam-se a fim de reduzir a fricção ou lesão durante a penetração.

As próximas seções apresentam diferentes zonas da vagina que dão sensações muito específicas e são bastantes erógenas, tais como o ponto-g, o ponto-K e o cérvix.

A vagina é um músculo e quanto mais a sua parceira o treina, mais poderá sentir prazer e ser capaz de devolvê-lo durante a relação sexual. Ovos de Jade (ou esferas de Kegel) são uma forma incrível para trabalhar estes músculos!

O Ponto G

Anatomia Feminina - Curso Online de Massagem Tantrica

O Ponto G (ou esponja uretral), que é na verdade mais "área" do que um "ponto", está localizado dentro da vagina, um pouco escondido debaixo do osso púbico. Com a palma da sua mão virada para cima, desliza apenas um dedo para dentro da vagina da sua parceira e dobra o dedo em um gesto de "vem cá", vai sentir um tecido um pouco áspero, muito parecido com a textura da parte superior da sua boca por trás dos seus dentes. Com o aumento da excitação, o tecido torna-se ingurgitado e os cumes tornam-se mais pronunciados.

Estimular o ponto G mágico pode resultar na forma poderosa do orgasmo conhecido como ejaculação feminina ou "squirting", onde um líquido fino, chamado kalas no Tantra, é expulso pela abertura uretral. Todas as mulheres têm um ponto G, e todas as mulheres podem experimentar esse tipo de orgasmo.

O Ponto-K

Muitas pessoas desconhecem esta encantadora área (ou esponja perineal ou zona-PS), que está localizada no piso do tubo vaginal, a volta de 2 a 6 cm dentro da entrada, basicamente em frente ao ponto-G entre os canais vaginais e anais.

Pode facilmente encontrar este local se virar a palma da sua mão para cima e inserir o polegar na vagina da sua parceira. Se dobrar o seu polegar na articulação superior, sentirá uma área mais espessa da parede vaginal – que é a esponja perineal.

Esta área também é feita de tecido erétil que se torna ingurgitado quando está excitado, e o seu nível de sensibilidade irá mudar com o aumento do desejo sexual. Este é geralmente um lugar "seguro"; Não é excessivamente delicado e pode ser sujeito a uma pressão muito forte. Estimular essa área pode proporcionar uma sensação aterrada, relaxada, excitada.

O Cérvix

Anatomia Feminina - Curso Online de Massagem Tantrica

O Cérvix, uma estrutura em forma de pêra, encontra-se na parte inferior do útero. A abertura do Cérvix é chamada de «os». Dois tubos, conhecidos como as trompas de Falópio, ramificam a partir do útero, uma de cada lado e os ovários, os órgãos que contêm os ovos não-fertilizados da mulher estão na ponta. Os ovários descansam sobre a superfície do útero. O tamanho dos ovários varia entre as mulheres e da idade, mas são aproximadamente do tamanho de morangos grandes.

Durante o curso do ciclo menstrual de uma mulher, o Cérvix muda a textura, posição e sensibilidade. Durante e imediatamente após o período de uma mulher, o Cérvix estará baixo e firme, semelhante à textura da ponta do seu nariz. À medida que ela aproxima da ovulação, o Cérvix ficará mais alto e irá tornar-se mais suave, mais aproximado da textura dos seus lábios, misturando-se com as paredes vaginais e assim já não pode ser sentido.

Como já vimos, o sistema reprodutivo está profundamente ligado ao prazer. O Cérvix move-se não só dependendo da época do mês, mas também de acordo com o nível de excitação sexual. Até mesmo o útero se move, subindo e descendo, durante o prazer sexual e as relações sexuais.

Há uma conexão entre o útero e os músculos na abertura vaginal (chamado de «ligamento redondo»). Quando uma mulher se torna cada vez mais excitada, os seus músculos vaginais ficam mais tensos e o útero eleva-se. Além disso, durante o orgasmo, o útero de uma mulher pulsa profundamente em um ritmo ligeiramente mais lento em comparação com o espasmo da musculatura pélvica, provocando potencialmente poderosas sensações e emoções intensas. A ação pulsante também atua como uma bomba, puxando o esperma.

O Cérvix é muito sensível, uma outra razão para o seu movimento. Durante a excitação elevada, o cérvix eleva-se para não ficar no caminho. Isto permite uma penetração mais profunda e sem desconforto. Se alguma vez notou que a sua parceira gosta de posições diferentes e é mais ou menos sensível dependendo da época do mês, pode ter a ver com a posição do seu Cérvix.

O Ânus

A região anal é rica em vasos sanguíneos e terminações nervosas e, portanto, é uma zona muito sensível e erógena. Os tecidos também são muito delicados, e a estimulação pode rapidamente tornar-se dolorosa se não for feita com muito cuidado e paciência.

O canal anal não tem lubrificação natural como a vagina. Use muita lubrificação se quiser explorar esta zona.

Não volte para a vagina depois da penetração do ânus sem limpar o dedo (ou o que estava dentro) com água e sabão. A área anal contém algumas bactérias que não se misturam bem com as bactérias na yoni.

A sua proximidade com o canal vaginal permite muitos tipos diferentes de estimulação indireta das zonas erógenas vaginais.